GuidePedia


Por questões de segurança, o Flamengo foi orientado pela Polícia Federal a desembarcar no Rio pelo terminal de cargas do Aeroporto Internacional Tom Jobim, o Galeão. E assim o fez, no início da manhã desta quinta-feira, após perder o título da Copa do Brasil para o Cruzeiro. O esquema montado de forma preventiva, porém, constratou com a ausência de torcedores no local para protestar.

Às 5h15, o meia Diego, que desperdiçou uma cobrança na disputa de pênaltis, foi o primeiro a aparecer. Acompanhado da mulher, foi escoltado por seguranças até entrar em um carro particular, sem dar entrevistas. O mesmo aconteceu minutos depois com o atacante Guerrero e o meia Lucas Paquetá, sempre em silêncio.

A maior parte da delegação deixou o aeroporto em dois ônibus protegidos por vidros escurecidos, um deles o tradicional veículo personalizado com as cores rubro-negras. No outro, estava o técnico Reinaldo Rueda, sentado no banco da frente, com o semblante fechado. Os garotos Léo Duarte, Vinicius Júnior e Matheus Sávio foram embora juntos, em um carro particular, após a saída dos ônibus. Já o goleiro Alex Muralha deixou o local sem ser visto.

Depois de ter fracassado na Libertadores e ter visto o Corinthians disparar na liderança do Campeonato Brasileiro, o Flamengo apostou suas fichas nas competições mata-mata. Mas o revés na Copa do Brasil, além de fazer renascer a desconfiança do torcedor, coloca ainda mais pressão para os confrontos pela Sul-Americana — nas quartas de final, o adversário é o Fluminense. Terminar o ano apenas com a conquista do Carioca seria um resultado muito aquém dos investimentos feitos pelo Rubro-negro.


Fonte: O Globo


Curta nossa página no Facebook:http://migre.me/tbpub
Siga-nos no Twitter:http://migre.me/tbpub



 
Top