GuidePedia


Em 2009, a Nação pôs fim a uma espera de 17 anos quando, após cobrança de escanteio de Petkovic, Angelim, de cabeça, marcou o gol do título do Campeonato Brasileiro. O Brasil inteiro parou para ver a epopeia rubro-negra ser escrita em um Maracanã que transbordava em lágrimas, amor e esperança. O Flamengo levantava a taça de campeão nacional pela sexta vez em sua história e concluía um belíssimo capítulo de glórias.

Um dos personagens principais dessa conquista não tinha vaidades. Ou melhor, tinha apenas uma: ver o Flamengo vencer. Ronaldo Angelim foi honrado com um dos gols mais importantes da história rubro-negra e foi consagrado como herói. Oito anos depois, o zagueiro reencontrou a taça do Hexacampeonato brasileiro no Fla Memória e contou, com exclusividade ao Site Oficial, a trajetória até a grandiosa tarde de 6 de dezembro de 2009.

Quando o título se tornou possível

Para Ronaldo Angelim, a esperança de conquistar a taça em 2009 surgiu em uma data especial para o Flamengo: 15 de novembro. No dia do aniversário do clube, o Mais Querido enfrentou o Náutico nos Aflitos e, com gols Petkovic e Adriano, saiu com a vitória por 2 a 0.

"Começamos a acreditar mesmo no título após o jogo contra o Náutico. Um pouco antes, o Andrade havia feito alguns cálculos e faltavam nove jogos, sendo sete fora de casa. Nesse cenário, não conseguíamos acreditar que brigaríamos por essa taça. Mas fomos jogando, vencendo e os adversários que estavam na frente da tabela começaram a tropeçar. Após essa vitória nos aflitos, entramos de vez na briga", lembrou Angelim.

A reta final do Brasileiro: a chance desperdiçada

No dia 22 de novembro, 78.639 torcedores estamparam um dos mais belos mosaicos que o Maracanã já viu. "A maior torcida do mundo faz a diferença" foi a frase que recebeu o Flamengo em uma das partidas mais importantes daquele ano. Diante do Goiás, o Mengo tinha a oportunidade de ultrapassar o São Paulo na tabela e pegar a liderança do Brasileirão. Porém, o 0 a 0 manteve o Mais Querido na segunda posição, frustrando jogadores e a Nação presente no estádio.

"Tivemos a oportunidade de assumir a liderança jogando contra o Goiás em casa e acabou acontecendo um tropeço que ninguém esperava. Se tivéssemos vencido aquela partida, teríamos matado o campeonato uma rodada antes. Porém, se isso acontecesse, poderia ser que eu não estivesse aqui hoje contando essa história. O Brasileiro poderia ter acabado no dia no meu aniversário, 29 de novembro, contra o Corinthians, visto que vencemos lá por 2 a 0", disse o ex-zagueiro.

"Lembro que me cobraram muito naquela partida contra o Goiás, pois no último minuto a bola sobrou para mim, eu dei um corte no zagueiro e chutei, mas o Harlei fez a defesa. Muitos reclamaram por não ter tocado no Adriano, mas depois vi que ele estava impedido e acredito que fiz a jogada certa. O mérito foi do goleiro, que fez uma defesa espetacular", completou Angelim sobre aquela partida no Maracanã.

Vitória fora de casa e liderança na penúltima rodada

No dia 29 de novembro, o Flamengo foi ao estádio Brinco de Ouro para enfrentar o Corinthians na penúltima rodada do Brasileirão. Os gols marcados por Zé Roberto e Léo Moura garantiram a vitória por 2 a 0, os três pontos e a ponta da tabela para o Rubro-Negro, que contou com tropeço do São Paulo. Com isso, o Mais Querido voltou para casa dependendo apenas de si mesmo para ser campeão.

"Na sequência tivemos esse jogo contra o Corinthians sem o Adriano, que estava lesionado e ficou fora. Conseguimos a vitória por 2 a 0 em Campinas no dia do meu aniversário. Quando conquistamos esses pontos e o Goiás derrotou o São Paulo, ficamos dependendo apenas de nós. Então aconteceu o que todos viram", comentou.

O capítulo final

Foram 17 anos de espera. Incontáveis minutos segurando uma comemoração que demorou a chegar. Naquela tarde do dia 6 de dezembro de 2009, mais de 85 mil pessoas lotavam cada centímetro do Maracanã para, após o apito final, celebrarem uma conquista indescritível.

"Não foi fácil. O Grêmio veio para vencer e eles queriam arrancar pontos no Maracanã. Apesar de termos feito um grande jogo, estava um calor enorme naquele dia e tínhamos um elenco experiente contra um cheio de jovens. Contávamos muito com o Pet e o Adriano, que eram os jogadores que vinham decidindo. Porém, eles foram muito bem marcados e a missão de fazer os gols sobrou para o David Braz e para mim. Fiquei bem posicionado naquele escanteio e conseguimos tirar o Flamengo de uma fila de 17 anos", concluiu o ídolo rubro-negro.

A vitória por 2 a 1 diante do Grêmio no Maracanã não foi fácil. Consagrando nomes importantes do elenco, o Flamengo de 2009 terá para sempre o nome de Ronaldo Angelim como um dos heróis daquele dia. Com o número 4 nas costas e a humildade de um grande ídolo, o zagueiro escreveu sua história em páginas que jamais serão apagadas.




Fonte: Site oficial do Flamengo 

Curta nossa página no Facebook:http://migre.me/tbpub
Siga-nos no Twitter:http://migre.me/tbpub



 
Top