GuidePedia


Com as mãos no bolso e nas costas, Reinaldo Rueda pediu calma desde o início do confronto com o Botafogo - empate por 0 a 0 na primeira partida da semifinal da Copa do Brasil. Os dois times decidem a vaga na final quarta-feira da semana que vem, no Maracanã. Depois de sofrer gols em nove dos últimos 10 jogos, o Flamengo saiu de campo sem ser vazado e sem sofrer tanto no início de uma nova trajetória de técnico gringo no futebol brasileiro.

Após rápido cumprimento a Jair Ventura, Rueda falou bem pouco. Mais gesticulava do que conversava com seus jogadores. O sinal era claro. Contra um Botafogo embalado em jogos decisivos, cautela era preciso. Os erros iniciais no campo de defesa do Fla mostraram isso. Rueda levou a campo um time com seis mudanças em relação à derrota contra o Atlético-MG - quatro delas obrigatórias, pois Diego Alves, Rhodolfo, Éverton Ribeiro e Geuvânio não estão inscritos. Os laterais Rodinei e Renê, além de Cuéllar, que fez boa partida, entraram na equipe.

O Rubro-Negro mostrou bastante preocupação em fechar os espaços no meio de campo e nas pontas do Botafogo. E o Fla conseguiu equilíbrio e até bons momentos no início do primeiro tempo. Everton saía um pouco mais da ponta e tentava não deixar Diego sozinho no meio de campo - desenhando mais um 4-4-2 do que o 4-1-4-1 que o Fla costuma jogar.

O camisa 35 parecia bem abaixo fisicamente dos companheiros e era desarmado constantemente pelos botafoguenses. Cuéllar ajudava mais Arão na saída de bola e chegou a finalizar uma vez em lance que interceptou passe de Victor Luis no meio de campo.

Na metade do primeiro tempo, a pressão botafoguense no meio de campo começou a levar o Flamengo para o campo de defesa. Bruno Silva tentou duas vezes em bons lances do Botafogo. Num deles, superou Renê e Alex Muralha pegou firme. A melhor chance do Rubro-Negro foi no fim da primeira etapa, mas num lance que a arbitragem já havia sinalizado que a bola saíra, quando Berrío perdeu chance em, primeiro falha, e depois defesa incrível de Gatito.

Diego aparece

Depois de levar cartão amarelo no primeiro tempo, Diego quase abriu o placar cobrando falta no travessão da entrada da área. Gatito só olhou. Em seguida, chutou forte, mas no meio do gol da entrada da área. Mostrava brio para seguir lutando com os companheiros.

Da beira do campo, Rueda aplaudiu quando Réver recuou bola muito forte para Muralha, que não dominou bem e cedeu o escanteio. Jair colocou Guilherme no lugar de Pimpão, indicado que ia apostar ainda mais na velocidade.

A primeira mexida do colombiano foi a entrada de Márcio Araújo no lugar de Berrío, que não fez boa partida. Em seguida, colocou Vinicius Junior no lugar de Everton. Mas o garoto ficou apenas sete minutos em campo, porque deu lugar ao goleiro Thiago. Alex Muralha e Carli, que já tinha amarelo, foram expulsos.

As expulsões tiraram a competitividade da partida. Os dois times passaram a arriscar pouco, esperando o empate para decidir tudo no Maracanã.

Notas do Fla:

Alex Muralha - 6,0 
Rodinei - 5,5
Réver - 6,0
Juan - 6,5
Renê - 6,0
Cuéllar - 7,0
Willian Arão - 5,0 
Diego - 5,0
Everton - 6,0
(Vinicius Junior - Sem nota)
(Thiago - 6,0)
Berrío - 5,0
(Márcio Araújo - 6,0)
Felipe Vizeu - 5,0

Fonte: GE

Curta nossa página no Facebook:http://migre.me/tbpub
Siga-nos no Twitter:http://migre.me/tbpub



 
Top