GuidePedia


Sem alguns titulares, poupados pelo técnico Zé Ricardo, o elenco do Flamengo viajou nesta segunda-feira para o Chile, onde encara o Palestino, nesta quarta, no jogo de ida da segunda fase da Copa Sul-Americana. Pará, Rhodolfo, Márcio Araújo, Trauco, Diego e Guerrero são as principais ausências. Sem Diego, a torcida rubro-negra esperava que Darío Conca fosse utilizado como titular no meio de campo, mas, surpreendentemente, o argentino sequer viajou para Santiago. Apesar de o Flamengo não ter se manifestado oficialmente sobre o assunto, o que se sabe é que jogador ficou no Rio de Janeiro para aprimorar a forma física.

Contra o São Paulo, no domingo, Conca também não foi relacionado. Até o momento, ele só atuou por 15 minutos, nas partidas contra Ponte Preta e Fluminense, pelo Brasileiro. Em nenhuma das ocasiões, foi titular. Na entrevista coletiva concedida após a vitória sobre o São Paulo, Zé Ricardo deixou claro que até Mancuello está a frente de Conca na briga por uma vaga no time.

— Tanto Mancuello quanto Conca ocupam a mesma faixa de campo e a gente sempre fica em decisão em cima desses dois nomes. Mancuello fez excelente semana de treinamento, por méritos ficou na relação — explicou Zé.

Há algumas semanas, Conca mostrou certa impaciência com a falta de oportunidades e chegou a faltar um treino. Depois, pediu desculpas e foi perdoado por diretoria e comissão técnica. Resta saber até quando o argentino, titular por onde passou, vai aguentar esperar.

Sem Conca e Diego, o Flamengo aposta em Éverton Ribeiro diante do Palestino. Dono de duas assistências em dois jogos, ele vive ótima fase.

Chute no favoritismo

O Flamengo viajou para Santiago, no Chile, onde estreará na Sul-Americana, vivendo um de seus melhores momento no ano. O time não perde há sete jogos, período no qual venceu cinco e empatou apenas duas vezes. Apesar disso, todos fogem da alcunha de favoritos ao título da competição continental.

— Só somos favoritos mostrando dentro de campo — afirmou o zagueiro Réver: — Não se vence jogo no papel, independentemente de ter um time muito forte ou não. Tanto que há duas ou três rodadas éramos um dos piores na boca de muitos aí. E agora tem muita gente mudando de opinião.

O zagueiro entende muito bem a necessidade de ter cautela. Ele já fazia parte do elenco quando o Rubro-Negro, também considerado favorito, foi eliminado da Sul-Americana de 2016 para o esmo Palestino que vai encarar amanhã, na capital chilena.

— No ano passado, com a nossa eliminação, houve cobrança. Ela sempre vai existir, independentemente de a competição ser gigante ou menor. Espero que tenhamos mais felicidade que ano passado — declarou o zagueiro, que espera tirar lições das últimas eliminações em torneios internacionais: — Temos que olhar para trás e vermos o que fizemos de errado para não cometermos os mesmos equívocos.


Fonte: Extra

Curta nossa página no Facebook:http://migre.me/tbpub
Siga-nos no Twitter:http://migre.me/tbpub



 
Top