GuidePedia


A desclassificação na Libertadores arruinou o primeiro semestre do Flamengo. A derrota para o San Lorenzo desencadeou críticas e demonstrações de insatisfação da torcida que fizeram o time passar por semanas turbulentas no início do Brasileirão. Após a quinta eliminação na fase de grupos, Zico foi um dos que não pouparam críticas ao desfecho na competição continental, mas acredita que se os jogadores entenderem a voz das arquibancadas, podem dar a resposta em campo.

Com o time na terceira colocação no Brasileiro, sem perder há cinco jogos e esboçando uma retomada no campeonato, o ídolo rubro-negro disse que cabe ao grupo absorver a mentalidade vencedora que sempre marcou os grandes times do Flamengo. Se os torcedores efetivamente ainda não fizeram as pazes com a equipe, cabe aos atletas atenderem à expectativa pela disputa do título.

– Todo jogador que vai jogar no Flamengo deveria conhecer a história do clube e da torcida. A torcida não pede gênios, pede que o cara lute, corra, tenha garra. Não foi à toa que o Rondinelli se tornou o "Deus da Raça". Aconteceram alguns resultados e a torcida cobra, e todo jogador tem que saber que se a torcida está cobrando, ele deve ficar satisfeito, porque ninguém cobra de quem não pode dar. Eu adorava quando me cobravam, porque os caras estavam preocupados, sabiam que o que eu podia dar. Flamengo é diferente por isso, espero que os jogadores entendam. Flamengo não é time de passagem, para fazer currículo. É time de conquistas, e quanto mais você valoriza em números cada um, mais a torcida vai cobrar. A gente sabe que este ano entra na competição podendo disputar o título, e os jogadores têm que mostrar que estão em função da disputa do título. Se vai ganhar ou não é outra coisa. É essa mentalidade de conquista, de "eu quero ganhar, eu posso ganhar", que tem que levar para dentro do campo a cada jogo – disse.

Zico falou sobre o momento do Fla em um evento na noite desta quarta-feira, em Juiz de Fora. Na ocasião, ele participou do lançamento de uma copa da sua rede de escolinhas, do sub-8 ao sub-18. No papo sobre formação e oportunidade para os jovens, o camisa 10 da Gávea comentou o espaço que as revelações têm tido no onze titular de Zé Ricardo. No time iniciou os últimos jogos, apenas o goleiro Thiago, que conquistou a titularidade devido à má fase de Muralha, está entre os jovens revelados nas últimas temporadas.

– Opinião sobre os critérios só quem está no dia a dia pode dar. Eu posso dizer que o Flamengo hoje tem uma base boa e que ele (Zé Ricardo) conhece muito bem. Tem jogadores ali que, a meu ver, poderiam ser titulares. O que eu acho é que quando você faz um investimento alto, tem que ser em caras que deem uma segurança de que são absolutos na posição. Se o cara que está na base é igual ou melhor ao que está ali, não tem sentido. A análise tem que ser no investimento. Imagina ter no banco um cara de salário grande e que não joga porque o da base joga e ganha três vezes menos. O Zé Ricardo é jovem, está começando e tem que analisar isso também. Ele está mexendo com o patrimônio do Flamengo, que deram para ele. Então é mais fácil esperar um pouco com os jogadores da base e botar quem os caras investiram. O considero um grande treinador, acho que ele vai evoluir.

Fonte: GE

Curta nossa página no Facebook:http://migre.me/tbpub
Siga-nos no Twitter:http://migre.me/tbpub



 
Top