GuidePedia


A chegada foi com festa, digna de um superastro. Éverton Ribeiro apresentou-se nesta terça-feira como o mais novo reforço do Flamengo e diante de grande expectativa da torcida, que, após a eliminação da Libertadores, vê no Brasileirão e na Copa do Brasil esperanças de conquista de um título de maior expressão na temporada - o clube já ganhou o Carioca. O meia-atacante de 28 anos, bicampeão brasileiro pelo Cruzeiro em 2013-2014, contratado do Al-Ahli, dos Emirados Árabes, por 6 milhões de euros (cerca de R$ 22 milhões), disse que não vê a hora de estrear. No "Seleção SporTV" desta terça, o comentarista Carlos Cereto elogiou a atitude da diretoria em contratar um jogador sem pensar em retorno financeiro. Para o apresentador Marcelo Barreto, com a grande contratação do novo camisa 7, a pressão da torcida sobre a diretoria por títulos será maior.

- A cobrança esportiva é a maior que essa diretoria do Flamengo sofre. No aspecto financeiro, a diretoria é um sucesso reconhecido pelos torcedores, mas existe uma crítica (...) O Flamengo hoje tem dinheiro para investir no time. Acabou de vender o Vinicius Jr. O clube, com as finanças saneadas, que faz uma venda do tamanho que é a venda do Vinicius, fica com dinheiro em caixa, para investir. E a cobrança que a torcida do Flamengo faz ao presidente e ao Rodrigo Caetano, visto como o grande responsável por isso, é de que o que o Flamengo conseguiu financeiramente ainda não foi para o campo. Esse é o sentimento da torcida do Flamengo.

Marcelo Barreto lembrou que, logo no primeiro mandato do presidente Eduardo Bandeira de Mello, a diretoria avisou aos torcedores que o Flamengo nos primeiros anos não seria candidato a título e pediu paciência para "arrumar a casa", o que foi importante para a reconstrução do clube. Mas mostrou depois um twitter de um torcedor no qual dizia que  "agora que tem a melhor estrutura e o melhor elenco do Brasil, o título é obrigação".

O comentarista Luiz Ademar acha que os resultados podem chegar a longo prazo, e o comentarista Carlos Cereto elogiou a postura da diretoria em contratar um jogador de 28 anos por quatro temporadas sem pensar em lucro financeiro adiante.

- Achei interessante quando o Rodrigo Caetano falou antes da entrevista sobre o retorno esportivo que o Flamengo vai ter ou o que se espera que o Flamengo vai ter com a contratação do Éverton Ribeiro. Por que retorno esportivo? Porque retorno financeiro o Flamengo não vai ter mais. Ele é um jogador de 28 anos, contratado por quatro anos de temporada. Então o Flamengo dificilmente vai vender esse jogador para conseguir lucrar com ele no futuro. E acho que tem que ser isso mesmo. O clube tem que pensar em retorno esportivo. Clube de futebol não é banco. Claro que guardando a responsabilidade financeira, mas o clube vive de títulos. E para conquistar títulos você tem que ter jogadores como Éverton Ribeiro.

Cereto acha que a diretoria deve manter a postura de ter paciência com resultados e não ceder às pressões caso a equipe não conquiste um título nacional na temporada. Mas prevê dificuldades.

- Os diretores, por mais racionais que sejam, são rubro-negros. E eles ouvem demais a torcida. No Flamengo o que mais tem ali é corneteiro. A política do Flamengo é muito complicada. Só um pode ser campeão brasileiro, campeão da Libertadores. Evidente que uma eliminação precoce causa um barulho muito grande. Se o Flamengo não conseguir o título brasileiro, e a expectativa é muito grande para que consiga, pelo investimento que está sendo feito, o mundo não pode acabar. E aí é difícil você ter esse equilíbrio.

Para o comentarista Lédio Carmona, os diretores rubro-negros mostraram mudança de comportamento após a prematura eliminação da Libertadores por não terem feito caça às bruxas, o que era algo comum dentro do clube.

- As sequelas foram menores. Claro que foi uma decepção. Mas em outros momentos o efeito daquela noite traria vítimas. Técnico e até jogadores. Muita gente sairia. Alguém teria saído. O início de Brasileiro nem é empolgante, mas você vê que o Flamengo vai conseguir se estabilizar no pelotão da frente daqui a pouco. 

Marcelo Barreto recordou que, pouco tempo atrás, a preocupação do torcedor do Flamengo antes de o Brasileiro começar era outra.

A gente também tem que sempre lembrar do passado. O Flamengo já mudou de patamar no Campeonato Brasileiro. Não tem muito tempo em que o torcedor do Flamengo olhava o Campeonato Brasileiro no começo e ficava tentando imaginar se dava para escapar do rebaixamento ou se o time ia sofrer naquele ano.

O comentarista Luiz Ademar não vê nada de errado se o retorno em campo com a nova contratação não surgir logo na primeira temporada.

- O Éverton Ribeiro, por exemplo, tem quatro anos de contrato. Se no quarto ano for campeão brasileiro, da Libertadores, estará dentro do planejamento.

Fonte: GE

Curta nossa página no Facebook:http://migre.me/tbpub
Siga-nos no Twitter:http://migre.me/tbpub



 
Top