GuidePedia


A anulação de um pênalti marcado contra o Flamengo, neste domingo, contra o Avaí, é mais um episódio no futebol brasileiro com suspeita de interferência externa nas decisões da arbitragem.

Aos 34 minutos do segundo tempo, com o placar 1 a 1, o árbitro Paulo Henrique Vollkopf assinalou a penalidade após disputa de Everton com Diego Tavares dentro da área. O árbitro adicional, que fica na linha de fundo, Paulo Henrique de Melo Salmazio, não se pronunciou, apesar da reclamação ostensiva dos flamenguistas. E até cartão amarelo para Everton já tinha sido aplicado. 

Quando o meia Juan, ex-Flamengo, já tinha colocado a bola na marca da cal para executar a cobrança, Vollkopf dirigiu-se ao assistente Leandro dos Santos Ruberdo e sinalizou o cancelamento da penalidade.

A suspeita em relação à interferência se dá porque o jogo foi transmitido pela Globo, e o árbitro só retrocedeu após o replay ter sido exaustivamente exibido.

A mudança de posicionamento da arbitragem gerou revolta imediata no Avaí. O meia Marquinhos, no banco de reservas, acabou levando cartão vermelho. A confusão durou cerca de cinco minutos.

- Eu estava de frente para o gol, não precisava me jogar. Vi que ele encostou. O árbitro deu o pênalti. Demorou a cobrar e ele reverteu - disse Diego Tavares, à TV Globo, na saída do campo.

Ao lado do gramado, foi possível identificar que o assessor de arbitragem era Nilson Monção, vice-presidente da comissão de arbitragem da CBF.

Em 2016, um jogo do Flamengo também teve suspeita de interferência externa. Foi no clássico contra o Fluminense, quando um gol irregular de Henrique foi anulado, validado e posteriormente anulado de novo pelo árbitro Sandro Meira Ricci e o assistente Emerson Augusto de Carvalho.

Fonte: Lance

Curta nossa página no Facebook:http://migre.me/tbpub
Siga-nos no Twitter:http://migre.me/tbpub



 
Top