GuidePedia


Alex Muralha chegou para resolver o problema do Flamengo no gol. Desde então, assumiu a titularidade e foi convocado para seleção brasileira. Mesmo com apenas duas derrotas do time em seis meses, acabou rotulado por não pegar pênaltis. Defendeu apenas um em 19 chances. Neste domingo, na finalíssima do Estadual contra o Fluminense, pode ter nova chance de se redimir, depois de passar em branco na final da Taça Guanabara.

No clube, há confiança no dono da meta desde a saída de Paulo Victor. Mas também o reconhecimento que, depois da convocação, Muralha oscilou em suas atuações. O trabalho de manter o atleta na ponta dos cascos é do preparador Vitor Hugo, que já trabalhou com Dida, tido como perito nas penalidades. Segundo o profissional, o que vale é a fase do goleiro. Ele ignora o retrospecto, desde 2015.

— Goleiro se aproveita da fase. Não é só agarrar pênalti. A gente não está preocupado com o que aconteceu antes no Flamengo. A estatística não vai abalar. Torcedor agora abraça o Alex, ele é o presente. Estamos plenamente satisfeitos — argumentou.

Ciente do talento do camisa 38, o Flamengo busca maximizar as qualidades. Para isso, alia ao trabalho físico e técnico à tecnologia. Muralha terá à disposição um GPS para avaliar os dados de seus saltos nos treinamentos.

- Chegaram os GPS de goleiro, para ter um parâmetro dos treinos. Ele vai marcar não distância e aceleração, sim os saltos. Flamengo tem oferecido o que a gente pede. Alguns clubes já tem lá fora. Vai ajudar bastante - comemora o preparador.

Nos últimos dias, o treino de pênaltis foi intensificado, no campo anexo, e Muralha foi bem, com ajuda dos demais goleiros se passando por batedores do Fluminense. Agora é no jogo.

— Fico sentado vendo o jogo tranquilo, a confiança nele é total — diz Vitor Hugo.

Fonte: Extra

Curta nossa página no Facebook:http://migre.me/tbpub
Siga-nos no Twitter:http://migre.me/tbpub



 
Top