GuidePedia


"A Portuguesa não pode ficar parada". Esta foi a justificativa utilizada pelo presidente da Lusa-RJ, João do Rêgo, para explicar a troca da parceria com o Botafogo pelo Flamengo na utilização do Luso-Brasileiro, divulgada pelos dois clubes na última segunda-feira. Segundo ele, inclusive, não houve "rasteira" por parte de ninguém neste caso. O que aconteceu simplesmente, de acordo com o homem forte do clube da Zona Norte do Rio de Janeiro, foi um acerto ''estratégico'' com o Rubro-Negro diante do recuo alvinegro para continuar mandando jogos no local na próxima temporada - o contrato com o Glorioso acaba no dia 31 de dezembro deste ano.

Segundo João do Rêgo, a informação que a Portuguesa tinha era de que o Botafogo só seguiria com a parceria no ano que vem caso encontrasse recursos. Esta indefinição fez a Lusa - motivada pelas melhorias no estádio propostas pelo Flamengo e na possibilidade de equacionar parte das dívidas do clube - assinar o pré-contrato com o Rubro-Negro.

- O que sabíamos, através de um dirigente, era que o Botafogo só continuaria se conseguisse um parceiro. Nós não podemos parar, não podemos ficar sozinhos. Temos que seguir. A Portuguesa precisa seguir. A Portuguesa não pode ficar parada. Então, a partir de janeiro vamos ter essa parceria com o Flamengo. O estádio vai receber mais reformas e vamos ter um contrato válido por três anos que vai beneficiar os dois clubes - disse o presidente, que também mostrou gratidão ao Alvinegro e acredita que a Lusa vai se beneficiar muito com a parceria com o Fla.

- Essa parceria é muito importante para a Portuguesa. Precisamos movimentar o esporte e as outras partes sociais do clube. Tivemos uma parceria muito boa com o Botafogo, por tudo que o clube representa. Somos muito gratos por tudo. Nossa amizade com o clube continua. Mas não podemos ficar parados. Agora esperamos ter uma boa parceira também com o Flamengo, que também nos trará um retorno muito bom fora de campeonato - declarou.

Questionado sobre como funcionará a parceria com o Flamengo, no entanto, João do Rêgo preferiu manter cautela neste momento e falou pouco sobre os detalhes. Mas deixou claro que o Rubro-Negro não está impedido de emprestar o estádio para outras equipes caso queira.

- Eu não posso falar muito ainda sobre como vai ser a parceria. Só dia 1º de janeiro de 2017. Mas a Portuguesa vai continuar usando o estádio para os jogos, assim como o Flamengo. Eles vão poder utilizar para jogos, vão poder receber outros clubes se quiserem. Mas não está previsto o aluguel do estádio para shows, por exemplo. Somente jogos mesmo - concluiu.

Na temporada do ano que vem, a Portuguesa terá pela frente a disputa da Série A do Campeonato Carioca - o clube está na seletiva - e da Série D do Campeonato Brasileiro. O time irá utilizar o Luso-Brasileiro nos jogos como mandante nas duas competições.

Fonte: GE

Curta nossa página no Facebook:http://migre.me/tbpub
Siga-nos no Twitter:http://migre.me/tbpub


 
Top