GuidePedia


O Pleno do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) irá decidir nesta quinta-feira quando será realizado o julgamento que decidirá pela anulação do clássico Fla-Flu, disputado no último dia 13, no estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda.
O presidente do órgão, Ronaldo Piacente, cogita até mesmo uma sessão extraordinária.
De acordo com a assessoria do tribunal, caso confirmada, ela pode acontecer no próximo dia 27 de outubro ou no dia 3 de novembro.
O resultado do episódio envolvendo o gol anulado do zagueiro Henrique, do Fluminense, supostamente com o uso de interferência externa durante a derrota de 2 a 1 para o rival Flamengo, será definido pelos nove membros do Pleno empossados no mês de julho. A origem de cada um deles, a sua indicação e estilo nas sessões dá uma pista do caminho que o caso mais controverso deste Brasilieiro deve ter.
Presidente do STJD, Ronaldo Piacente (SP) pertence oficialmente à cota da Associação Nacional dos Árbitros de Futebol (ANAF), mas, conforme mostrado anteriormente pelo ESPN.com.br através de troca de e-mails, está entre os indicados de Marco Polo Del Nero e possui forte laço com o mandatário da CBF.
Conforme apurado pela reportagem, a expectativa é de que ele nomeie para o cargo de relator Paulo César Salomão Filho (RJ) ou João Bosco Luz (GO).
Os dois são os nomes mais próximos a Piacente.
Mais do que isso, carregam perfis técnicos, com chances mais reduzidas de acatar a impugnação do Fla-Flu.
Paulo César Salomão, inclusive, julgou improcedente pedido do Palmeiras para anular derrota para o Inter por 2 a 1, no Brasileiro de 2012. Na ocasião, a diretoria alviverde alegou que o gol marcado pelo argentino Barcos com a mão teve auxílio de imagens de TV na decisão da arbitragem.
Vice do STJD, Salomão é ligado ao ex-presidente Flavio Zveiter, transita no órgão desde 2000 e carrega indicação da CBF. João Bosco foi presidente do Goiás, era procurador do tribunal antes e foi sugerido pelos clubes.
O Pleno conta com Bosco e ainda outros seis auditores.
Décio Neuhaus (RS) é representante dos atletas e conhecido pelo pavio curto. A exemplo de Paulo César Salomão, também votou contra impugnação de confronto entre Palmeiras e Inter em circunstâncias semelhantes em 2012.
Outra indicação dos clubes, José Perdiz (DF) foi presidente da 5ª Comissão Disciplinar durante a gestão anterior, também tem perfil mais técnico e historicamente avesso a se colocar favorável a processos como o do Flu.
Filho de João Otávio de Noronha, ministro do STJ (Superior Tribunal de Justiça), Otávio Noronha (DF) é tido como o elo mais fraco tecnicamente do Pleno, chegou através de indicação da OAB e costuma seguir a posição dos colegas. A Ordem dos Advogados também foi responsável por encaminhar o nome de Antônio Vanderler (RJ), ex-presidente do TJD-RJ e próximo do presidente da federação carioca, Rubens Lopes., desafeto do Fla.
Mais um com a chancela da CBF, o delegado Mauro Marcelo de Lima e Silva (SP) comandou o TJD-SP, atuou ao lado de Del Nero na federação paulista e se envolveu no período em episódios controversos por seu passado supostamente palmeirense. Cartolas do São Paulo o acusaram de carregar, por exemplo, algemas verdes. Ele foi um dos fundadores da ONG “Muda, Palmeiras”.
Arlete Mesquita (GO), representantes dos atletas ao lado de Décio, é a primeira mulher a compor o Pleno e elogiada por sua posição independente. Ela atuou na criação da Fenapaf (Federação Nacional dos Atletas).
A expectativa é pelo placar de 9 a 0 contra a impugnação.
Fonte: ESPN
Curta nossa página no Facebook:http://migre.me/tbpub
Siga-nos no Twitter:http://migre.me/tbpub


 
Top