Algumas vezes com o tom de voz bastante elevado, o presidente do Palmeiras, Paulo Nobre, esbravejou contra a arbitragem de Sandro Meira Ricci por causa da polêmica ocorrida na partida entre Fluminense e Flamengo, na noite da última quinta-feira, quando o time tricolor teve um gol anulado após o juiz supostamente ter recebido informação externa - seria o tento de empate por 2 a 2, mas o jogo terminou com vitória rubro-negra por 2 a 1.

O resultado fez a diferença de pontos entre o Palmeiras, líder do Brasileiro, cair para um em relação ao Flamengo, vice-líder do torneio (61 a 60), a oito rodadas do fim do torneio.

"O Palmeiras desde o primeiro dia do campeonato se esforça muito para conquistar tudo que conquistou. Ninguém vai levar o campeonato na mão grande. É necessário que quem organiza o campeonato tome uma posição", disse Nobre, no CT alviverde, nesta sexta.

"Estamos aqui trabalhando para fazer um time competitivo e não vamos admitir dois pesos e duas medidas no campeonato. Nas primeiras rodadas do campeonato o Palmeiras foi prejudicado em seis ou sete jogos. Faz parte. Não existe arbitragem mal intencionada. Erros fazem parte. Não estamos futebol americano, vôlei, que tem recursos externos. Estamos no futebol que é organizado pela Fifa, que proíbe auxilio externo. Estão infringindo a regra."

Ao esbravejar contra Ricci, Nobre usou expressões fortes. Chamou a reunião ocorrida dentro do gramado de Volta Redonda para definir a validação ou não do gol do Fluminense de "reunião de condomínio". Chamou de "balburdia" e "situação escandalosa".

"Senhores, tivemos ontem no Rio o trio de arbitragem mais experiente do Brasil. Já foram para duas Copa do Mundo. Não dava para ter arbitragem mais experiente do que a de ontem. Mas árbtiros são seres humanos e o ser humano é sujeito a pressão. Não é possível mais aceitar esse nível de pressão que estão fazendo no Brasileiro. Futebol se joga dentro de campo. Palmeiras foi considerado campeão do Século 20 por jogar futebol em campo. Palmeiras tem 12 títulos nacionais dentro de campo. Palmeiras foi rebaixado e voltou dentro de campo", disse, elevando o tom de voz no final da declaração.

"O Palmeiras não joga nos bastidores. Joga dentro de campo. Nós tínhamos ontem em campo o trio de arbitragem mais experiente do país. E com a pressão que os árbitros estão recebendo, mesmo um trio experiente demora 13 minutos para decidir sobre um gol. Foram 13 minutos numa reunião de condomínio, uma balburdia . Nunca vi aquilo. E pega muito mal isso. Você começa a colocar em dúvida a credibilidade do campeonato."

'61 PONTOS EM CAMPO'

O diretor de futebol do Palmeiras, Alexandre Mattos, acompanhou Paulo Nobre durante a entrevista coletiva e também se manifestou de maneira irrritada sobre o Fla-Flu.

"Se voltar um pouco no tempo, Flamengo se posicionou contra um árbitro do jogo do Palmeiras por eles considerarem que era mais fraco do que o árbitro do jogo deles. O Palmeiras não age assim, não discute essas bobagens. Essa pressão absurda, de achar que fazer isso para acarretar algum tipo de dano, não vai acontecer aqui. Isso não vai acontecer enquanto essa diretoria estiver aqui. Palmeiras tem 61 pontos jogando bola. Tem 61 pontos sendo prejudicado, mas reclamando da forma como tem de ser feito", disse ele.