GuidePedia


Sérgio Santos, inspetor de arbitragem do clássico entre Flamengo e Fluminense, na última quinta-feira, nega ter alertado o juiz Sandro Meira Ricci sobre impedimento de Henrique no gol anulado do Tricolor. Flagrado pela leitura labial do Esporte Espetacular, ele afirma não ter influenciado na decisão final do árbitro de invalidar o gol do zagueiro.

- Tudo o que eu falei, na verdade, com o árbitro já está com a CBF. Essa leitura está errada. Em momento nenhum eu falei que o gol era inválido. Falei somente que a decisão era do árbitro. Eu realmente não falei isso. Deve ter havido algum engano na leitura, porque eu não falei isso. Até porque não sou ingênuo de falar uma coisa dessas – afirmou Sérgio Santos, em contato por telefone com o GloboEsporte.com.

Sérgio alega que Sandro já havia tomado a decisão de anular o gol quando entrou em campo. O inspetor afirma que a confusão foi causada pela troca de informações entre imprensa e jogadores. 

- Quando o time do Flamengo ficou sabendo pela própria imprensa que tinha sido impedimento, a primeira coisa que eu falei para o time do Flamengo era que a decisão era do árbitro. Não tem como confiar nem na imprensa, nem nos jogadores, quando passam uma informação dessas. Porque um lado está falando que foi, e o outro falando que não foi. Eu tenho 34 anos de arbitragem. Não vou passar uma informação dessas para o árbitro. De qualquer maneira, quando cheguei no árbitro, a decisão de voltar atrás já havia sido tomada. Só não falou pelo tumulto que a própria imprensa causou no campo, quando avisou o Flamengo que tinha sido impedimento. Eu vou esperar a CBF se pronunciar. Eles já têm o meu relato, o relato do Sandro, de todos os componentes. Assim que tomarem uma decisão, eu falo.

Procurador-geral do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), Felipe Bevilacqua diz que a entidade está analisando o caso com calma. Ele afirma, no entanto, que não há dúvidas de que o árbitro foi alertado sobre o impedimento de Henrique.

- Estamos analisando tudo com calma. Em tese, esse caso não existe precedente... O fato que alguém falou para o árbitro, não resta dúvida. Mas tem que ser muito bem estudado e analisado. É difícil provar que o árbitro decidiu alguma coisa com essa interferência. O STJD sempre procura preservar o resultado de campo. Todas as circunstâncias que podem alterar o resultado em campo devem ser analisadas. Não pode haver dúvida. 

O Esporte Espetacular convocou um especialista em leitura labial para mostrar o que os jogadores e membros da arbitragem disseram durante os 13 minutos em que o jogo ficou paralisado. Vários jogadores alertam o árbitro Sandro Meira Ricci que as imagens da TV mostravam que o gol havia sido ilegal. E, antes da decisão final, Ricci é alertado também pelo inspetor de arbitragem da partida, Sérgio Santos, que diz:

- A TV sabe. A TV sabe que não foi gol.

O lance foi aos 39 minutos do segundo tempo. Gustavo Scarpa cobrou a falta e Henrique escorou, empatando a partida em 2 a 2. Imediatamente, o assistente Emerson Augusto de Carvalho levantou a bandeira, assinalando impedimento do zagueiro.Após pressão dos tricolores, o árbitro Sandro Meira Ricci voltou atrás e validou o gol. Foi a vez dos rubro-negros reclamarem. O jogo ficou paralisado por 13 minutos, com muita gente em campo pressionando.

Fonte: GE

Curta nossa página no Facebook:http://migre.me/tbpub
Siga-nos no Twitter:http://migre.me/tbpub


 
Top