GuidePedia


O Flamengo não vai deixar barato o que considerou uma atitude de má-fé do lateral Leonardo Moura, que procurou o clube exigindo pagamento de direitos de arena e horas extras por concentração noturna pouco mais de um ano após deixar o clube que defendeu por onze temporadas.

O Flamengo alega que pagou 100% de tudo que um funcionário tem direito e que o processo movido na 72 Vara do Trabalho do Rio de Janeiro se deu por má-fé do jogador. Assim, o clube vai contestar a ação e tentar revertê-la em audiência marcada para junho de 2017.

- A ação foi na maldade. Nada no pedido é comum a um ex-funcionário - garantiu um dirigente rubro-negro.

A ação é considerada uma furada pelo jurídico do Flamengo, que confirmou ter pago a Leo Moura na rescisão todos os direitos, como férias, décimo terceiro e FGTS. O Tribunal Superior do Trabalho já entendeu em outras ações que concentrações e viagens são inerentes à profissão de jogador do futebol e não dão direito a horas extras e adicional noturno.

A festa de despedida feita para Leo Moura já gerou arrependimento na diretoria do Flamengo, que tentou contornar uma saída que poderia ser conturbada pelo desgaste do atleta na relação com dirigentes á época.

- Casamento também é assim, começa com meu bem e termina com meus bens - lamentou um cartola.

Fonte: Extra Globo

Curta nossa página no Facebook:http://migre.me/tbpub
Siga-nos no Twitter:http://migre.me/tbpub


 
Top