GuidePedia


Estádio lotado, rivalidade e grandes estrelas em campo. Fred, Guerreiro, Réver, Victor, Muralha... E Robinho e Diego. Dentro de campo, Atlético-MG e Flamengo fizeram um clássico digno dos jogos da década de 1980, que protagonizaram uma das grandes rivalidades do futebol nacional. O Mineirão viu um grande espetáculo, protagonizado pelo segundo e terceiro colocados do Campeonato Brasileiro. O 2 a 2 no placar, construído com virada e gol no fim, fez jus ao futebol demonstrado pelos dois times.

Diego, no primeiro tempo, aproveitou bobeira da zaga do Galo e fez 1 a 0. No abafa, o Galo foi buscar a virada com Robinho e Lucas Pratto. No entanto, Paolo Guerrero conseguiu o gol de empate aos 44 minutos e deixou tudo igual. Com o ponto conquistado, o Atlético-MG chegou aos 60. O Flamengo passou para 62.

Na caçada ao líder Palmeiras, os dois times voltam a campo no próximo final de semana. No sábado, o Flamengo abre a rodada no clássico contra o Botafogo, às 17h (de Brasília), no Maracanã. O Atlético-MG joga no domingo, às 19h30, contra o Coritiba, no Couto Pereira.

Fla em vantagem

O duelo entre segundo e terceiro lugares começou como esperado, com os dois times buscando o gol. Nos três primeiros minutos, quatro escanteios, sendo dois para cada lado. O equilíbrio no número de corners era semelhante as ações dos times em campo. Primeiro trabalhou Muralha, espalmando chute de Fred. Quando o Flamengo chegou, a bola de Gabriel desviou e levou perigo.

Algumas marcações da arbitragem irritou os dois lados e deixou o jogo nervoso. O Galo buscava levar perigo com o quarteto ofensivo formado por Cazares, Otero, Robinho e Fred. Do lado do Flamengo, Paolo Guerrero era a referência, mas sem muitas chances, com Gabriel sempre perto dele. No entanto, na primeira brecha que a defesa alvinegra cedeu para o peruano, ele deixou Diego cara a cara com Victor. O meia, que travava duelo individual com Robinho, abriu o placar e fez 1 a 0.

O gol assustou o Atlético-MG, e o Flamengo aproveitou criou mais chances. A principal delas com Guerrero, que cabeceou firme e obrigou a fazer um milagre, evitando que os cariocas fossem para o vestiário com uma vantagem de 2 a 0.

Jogo decidido no fim

Precisando vencer, o técnico Marcelo Oliveira voltou para o segundo tempo com Luan. O Atlético-MG tentou impor uma pressão inicial, mas o Flamengo controlou muito bem o jogo e os ânimos. Nervoso, os jogadores do Galo reclamavam do árbitro Braulio da Silva Machado a todo instante. Enquanto o Galo errava o último passe, o Fla botava a bola no chão, tocava e quase fez o segundo, após Erazo cortar errado cruzamento de Diego e acertar a trave de Victor.

Vendo o tempo passar e o time não produzir, Marcelo sacou Leandro Donizete e colocou Lucas Pratto, deixando o time muito ofensivo. A torcida atleticana não gostou da alteração, mas seguiu empurrando o time. Otero, em tentativa de cruzamento, quase venceu Muralha, que fez nova boa defesa. Aos 20 minutos, Fred balançou as redes, mas estava impedido, e o lance foi corretamente anulado pela bandeira.

O abafa do Galo só surtiu efeito aos 36 minutos. Após lateral cobrado na área por Otero, Réver agarrou Fred e o árbitro assinalou penalidade máxima. Robinho chamou a responsabilidade e empatou. Deixou tudo igual seu duelo com Diego e a partida no Mineirão. O gol de empate fez a massa atleticana explodir, e a virada veio cinco minutos depois. O camisa 07 do Galo fez grande jogada e deixou Lucas Pratto livre na área, com tempo para cortar Muralha e fazer 2 a 1.

A torcida atleticana ainda fazia sua festa no Mineirão, quando o Flamengo buscou o empate. Na pressão, Diegou tentou chute, mas a bola desviou na defesa e sobrou para Guerrero bater. A bola ainda bateu na trave antes de entrar. Festa da torcida rubro-negra, mas em um resultado que foi ruim para os dois times.

Fonte: GE

Curta nossa página no Facebook:http://migre.me/tbpub
Siga-nos no Twitter:http://migre.me/tbpub


 
Top