GuidePedia


A decisão da Conmebol de modificar a fórmula de disputa da Copa Libertadores de 2017 a três meses do término da temporada de 2016 não agradou muito aos clubes que trabalharam na montagem de seus elencos já planejando o término da competição no final do primeiro semestre.

Falo, é claro, de Palmeiras, Flamengo e Atlético-MG, clubes que investiram fortemente na aquisição de reforços, mas com algumas peças importantes com vínculo até julho e agosto.

COM A PRORROGAÇÃO da competição que agora será disputada entre fevereiro e novembro será preciso rever a situação contratual destes jogadores.

O problema é que em alguns casos isso irá gerar um grande desconforto.

Sobretudo naqueles em que o jogador está cedido por empréstimo, com prazo para retornar ao clube de origem.

A medida pega de surpresa todos os clubes brasileiros postulantes a uma vaga no torneio, mas estes três já convivem com o problema.

Vejamos o caso do Flamengo,por exemplo...

O mapeamento dos jogadores que pudessem reforçar o time levou em consideração a experiência e a capacidade de servir ao clube no curto prazo.

Por isso, o zagueiro Rever, de 31 anos, emprestado pelo Internacional-RS, e o atacante Leandro Damião, cedido pelo Santos, têm contrato até o meio do ano.

O primeiro até junho e o segundo até agosto.

No momento da negociação, o prazo de doze meses pareceu confortável para os dois clubes.

Fonte: Extra Globo/Gilmar Ferreira

Curta nossa página no Facebook:http://migre.me/tbpub
Siga-nos no Twitter:http://migre.me/tbpub


 
Top