GuidePedia


Algumas grandes oportunidades aparecem na vida dos jogadores e deixam marcas profundas. O atacante Evandro Paulista, atualmente na segunda divisão japonesa, sabe muito bem disso. Durante sua carreira, ele passou por grandes clubes como Flamengo e Corinthians, mas por vontade própria resolveu não permanecer em nenhum dos dois.
Como recusa de Alex Muralha já fez Jaílson ser campeão brasileiro
Depois de começar na Internacional de Limeira, ele foi indicado pelo presidente do clube do interior paulista para fazer um teste na Gávea.
“Me deram 20 dias e passei. Consegui me profissionalizar rápido e com 17 anos já tinha contrato de três anos. Na época, meu treinador era o Adílio na base. Hoje vejo muitos amigos meus daqueles tempos na mídia como o Renato Augusto, Paulo Victor e o Egídio”, disse o centroavante do Gifu, ao ESPN.com.br.
O atleta alega que tinha muitos problemas com atrasos de salário em 2006 e resolveu tomar uma atitude.
“Eles pagavam um mês e deixavam dois sem pagar, sempre assim. Um dia, acordei meio estranho peguei minhas coisas e fui para o jogo. Quando acabou, fui embora pra São Paulo. Fiquei quase um mês sem aparecer e o pessoal do Flamengo estava atrás de mim. Ligaram para o diretor da Inter me procurando. No fim, deu até abandono de emprego”, relatou.
Nas duas temporadas pelo time rubro-negro, Evandro treinou diversas vezes com o elenco principal, mas não chegou a jogar pela equipe de cima. Apesar da desilusão, ele seguiu sua carreira por times como Canedense e Ituano, antes de ir para o Belenenses, de Portugal.
“Teve uma época difícil quando voltei da Europa e fui para o União São João porque machuquei meu joelho. Fiquei quase dois anos sem jogar. Queria largar a carreira, estava muito desanimado”.
Ele só conseguiu retomar as boas atuações quando foi para o São Carlos na Série A3 do Paulista, em 2011.”Conseguimos o acesso da para Série A2. Tinha feito um campeonato bom e fui artilheiro por lá”.
Com isso, foi contratado pelo Corinthians para a disputa da Copa Paulista no segundo semestre.
“O que me falaram da diretoria foi que eles estavam fazendo um time B e que eles queriam me contratar para o Corinthians. Só que eu não podia sair do São Carlos pra chegar ao time principal direto”.
Evandro ficou até o final do ano no time que foi eliminado na primeira fase da competição. “Só que nessa época, o Corinthians estava bem demais. O ataque era muito forte com Sheik, Jorge Henrique e Liédson. Meu contrato foi curto e queriam renovar por mais seis meses. Eu decidi não ficar porque via que seria impossível jogar”.
Depois de passar por Tupi, Aparecidense, Vila Nova e Anapolina, o atacante sofria com a falta de estrutura do futebol brasileiro .
“Fui batendo cabeça e minha mãe brigando comigo. Já tive todos os motivos do mundo pra largar a bola e seguir outra vida. Até mesmo a vida errada. Mas optei em dar uma vida digna e certa para os meus filhos”.
Até que no ano passado, Evandro foi indicado por um amigo, que havia jogado com ele, para defender o Oita Trinita, do Japão.
“No começo foi tudo meio estranho. Muito diferente a comida, os treinos e até os jogos. Depois, tudo se encaixou muito bem. O Japão é um país maravilhoso para se morar com a família”.
Nesta temporada, ele foi transferido para o Gifu, que disputa a J-League 2, a divisão de acesso. Com cinco gols no campeonato, Evandro quer ajudar o time a escapar do rebaixamento.
“Estou bem feliz, apesar de estar em um time muito pequeno. Estou trabalhando muito forte pra chegar um dia aos grandes da segunda divisão”.
Fonte: ESPN
Curta nossa página no Facebook:http://migre.me/tbpub
Siga-nos no Twitter:http://migre.me/tbpub


 
Top