GuidePedia

No dia do aniversário de 450 anos do Rio de Janeiro o Esporte Espetacular deu um presente ao o atacante flamenguista Marcelo Cirino. O artilheiro ganhou um passeio de helicóptero pela Cidade Maravilhosa. Cirino foi recepcionado pelo funkeiro Nego do Borel, um anfitrião bem carioca e acostumado a ser mestre de cerimônias.  Nego mostrou para Cirino as praias, o Maracanã, onde enfrenta na tarde deste domingo o Botafogo, e as comunidades cariocas. De quebra a dupla rubro-negra apresenta ao público o novo terceiro uniforme do Flamengo, a camisa Papagaio-de-Vintém. Marcelo fez o passeio, curtiu as belezas cariocas e ainda conversou sobre sua boa fase dentro de campo. 
O passeio de helicóptero começou no Aeroporto de Jacarepaguá. Marcelo Cirino e MC Nego do Borel chegaram de bom humor e batendo muito papo. Vestindo a quadriculada camisa em preto e vermelho os dois curtiram juntos o sobrevoo pelas paisagens cariocas com direito a emoção na hora de ver o Cristo. Você confere aqui abaixo os melhores momentos da conversa com o camisa sete do Flamengo.
Marcelo Cirino e MC Nego do Borel (Foto: Daniel Cardoso)
Fase do Flamengo e o clássico contra o Botafogo
- Nosso time vem numa crescente, acho que a cada jogo vem melhorando, o que o professor vem pedindo os jogadores estão procurando fazer. O grupo é muito forte e Vanderlei está dando oportunidade para todos para entrosar todos e todos estarem junto com o grupo. Clássico é clássico e não tem favorito, o Flamengo vai entrar para vencer e o Botafogo também, acho que vai ser definido nos detalhes, quem tiver mais preparado, quem errar menos vai vencer. Vamos entrar focados desde o começo.
Sobre o Maracanã
 - Inesquecível, não tem como não lembrar, olhando hoje, vendo o novo Maracanã, até da saudade daquele momento. Meu primeiro gol no profissional pelo ex-time, e Deus me abençoou que fosse logo no Maracanã, diante do Fluminense. Então olhando hoje, vendo esse estádio belíssimo e palco de final de Copa do Mundo, fico muito feliz e agradecido por isso. Tive o prazer de jogar no Maracanã lotado na final da Copa do Brasil pelo meu antigo clube, e naquele momento eu já sonhava de um dia estar do outro lado. E hoje estando aqui espero que a torcida lote o estádio, faça aquela festa maravilhosa, e a gente consiga a vitória pra presenteá-los.
Marcelo Cirino conversou com o Esporte Espetacular (Foto: Daniel Cardoso)
Conhecendo o Rio e a torcida do Flamengo
- Ainda estou conhecendo o que é o Flamengo de verdade, Estou há pouco tempo no Rio de Janeiro, assim como estou conhecendo a cidade de uma visão diferente, mas já deu pra perceber o que significa o manto sagrado e a torcida, Não me considero ainda um ídolo, um ícone. Mas se Deus quiser, vou fazer de tudo pra que meu trabalho seja reconhecido e dar muitas alegrias a torcida rubro-negra.
Emoção ao ver a estátua do Cristo Redentor
- É coisa de Deus, mesmo. Não tem explicação, a sensação que eu tô sentindo aqui agora. Quero chegar mais perto agora, andar, subir, agradecer a Deus pela oportunidade e  trazer meus pais também.
Marcelo Cirino e MC Nego do Borel (Foto: Daniel Cardoso)
Origem humilde em Maringá no Paraná
- Cresci em um bairro bem humilde em Maringá, vivia descalço, jogando bola na rua, que nunca jogou bola em um terrão. Nem tinha tênis e sempre tive o sonho de ser jogador, assim como o Nego sonhou em ser MC. Eu vivia na rua, não gostava de estudar, como a maioria dos jogadores, não tenho estudo completo, muitas pessoas falaram que eu não ia chegar, até por eu ter nascido num lugar humilde, mas Deus me deu o dom, a força de vontade de batalhar, de se virar. Por isso que agradeço por estar vivendo esse momento, pois se não fosse o futebol. Minha infância foi sofrida, passei necessidade, mas não passei fome, mas necessidade eu passei e por isso eu agradeço por tudo. 
MC Nego do Borel e Marcelo Cirino (Foto: Daniel Cardoso)








Lutando pelo seu sonho na infância
-Passei dificuldades na família, como perda de parentes, separação dos meus pais. Muita gente colocando em xeque meu sonho e meu trabalho, Hoje posso olhar pra trás e ver que eu venci e superei todas as dificuldades e não foram poucas. Tive que ralar muito e ajudar meus pais. Agradeço a eles, mesmo na dificuldade eles estiveram lado a lado comigo e com meus irmãos. Obrigado pai, obrigado mãe, eu não tinha aquela vida que muitos tinham na época. Entre os meus amigos eu sempre fui o mais humilde, eles saiam pra comer um lanche, um sorvete, e eu não tinha dinheiro pra acompanha-los. Ia só na amizade, ficava com vergonha, e eu agradeço porque hoje posso a ter o que eu quero. 
Sem deslumbre e recado para ao fãs e para aqueles que sonham sem jogador.
- Não me deslumbro de nada, não menosprezo ninguém, não foi fácil, mas eu venci.  Para quem pensa que vida de jogador é fácil, eu digo que não é, até hoje é muito sofrimento, ficar longe dos pais, o que passei no começo foi duro, mas eu venci, Deixo um recado pra quem sonha, que um dia poder ser jogador de futebol, ou fazer parte de qualquer outro esporte, trabalhe bastante, sonhe, persevere, não deixa que ninguém tire seu sonho de você, porque so você pode realizar o seu sonho.
Cirino, MC Nego do Borel e o piloto do helicóptero (Foto: Daniel Cardoso)









Fonte: GE


 
Top